N-Festa do Imigrante na Patagónia

January 13th at 9:22pm

Uma neta de algarvios de Boliqueime foi eleita Primeira Princesa em Comodoro Rivadávia, no sul da província Chubut, na Patagónia Argentina, a “Festa do imigrante” se comemora no dia 4 de setembro, estabelecido pelo Decreto Nacional nº 21.430 /1949 em recordação da primeira medida de protecção aos imigrantes e suas famílias, dictada pelo Primeiro Triunvirato no 4 de setembro do ano 1812.     

Há 21 anos que –por iniciativa do Dr. José Maria Amado,nesse então presidente da Associação Portuguesa de Comodoro Rivadávia, fundou-se uma Federação das Comunidades Estrangeiras residentes na cidade, para realizar aquela comemoração em comum.
Ano tras ano, esta festa tem crescido tanto, que hoje é um ex libris da região patagónica.         
Este ano, as actividades iniciaram-se no dia 16 de agosto, com um grande Festival de Música Típica das Comunidades. Cada Instituição apresentou um conjunto musical integrado pelos jovens das suas respectivas comunidades. No nosso caso, a Associação Portuguesa esteve presente com o conjunto “Nosso Jeito”, composto por cinco luso-descendentes que interpretaram música portuguesa com muito sucesso.          
No dia 29 de agosto desenvolveu-se a festa da Eleição da Rainha da Federação, na qual concursaram as rainhas coroadas por cada Comunidade federada, que são 21 Associações.               Os portugueses tivemos a honra de que a nossa representante –a Rainha da Associação Portuguesa de Comodoro Rivadávia – foi escolhida como Primeira Princesa. Ela chama-se Laura Soledad Gonçalves Rodrigues, e é neta de portugueses de Boliqueime  , tem 18 anos, e é estudante. Faz parte do Rancho Floclórico“Dançares ao Vento”, da nossa Associação.                                                          No dia 30 de agosto foi a Noite de Gala, em que a mocidade de cada uma das 21 comunidades, bailou danças típicas de cada país representado. A nossa mocidade foi a mais numerosa pois actuaram tres ranchos: “Amizade”, “Mocidades” e “Dançares ao vento”,em total 50 jovens que interpretaram  viras, fandangos, bailes de roda e corridinhos com muito amor às suas raizes e tradições, e foram premiados com prolongados aplausos e vivas do público que encheu o Salão.      No dia 31 de agosto: chegou o Festival Infantil  Os mais pequenos fizeram a grande festa para os maiores, pais, avós e demais, alguns muito idosos, desfrutaram da bela representação de cada país, feita pelos meninos -descendentes em segunda, terceira e quarta geração- dos imigrantes de muitos paises europeus, asiáticos e americanos, que povoaram este canto do mundo.                                 A graça própria dos infantes e o colorido dos trajes típicos, fez mais emocionante a cena do baile folclórico que cada comunidade apresentou. Em total, foram duas horas e meia de espectáculo inesquecível.                                                                                                                                   A Associação Portuguesa esteve representada pelo Rancho “Os bonecos”: quinze crianças de quatro a dez anos.                                                                                                                                                 No dia 4 de setembro: Se realizará o Acto central oficial em que a Direcção Nacional de Migraciones, fará entrega de diplomas aos estrangeiros com cinquenta anos de residênciana Argentina. Neste ano, são seis os lusitanos  que recebem a distinção.                                                                                     Nos dias 12,13 e 14 de setembro: Grande Feira de Gastronomía típica: Cada comunidade apresenta um “stand”  com características do pais que representa, e vende pratos de comidas típicas. A Associação Portuguesa apresenta uma réplica de uma casa portuguesa, feita pelo engenheiro Daniel Amado e o arquitecto Rodolfo Amado. Os pratos típicos oferecidos são: pregos,caldeirada de peixe e mariscos, panadas de peixe, e as filhós.                                                                                                     No percurso dos tres dias há apresentações dos grupos de baile e musicais. A nossa Associação apresenta os ranchos “Mocidades”,“Amizade”, “Saudades”, “Dançares ao Vento” e “Os Bonecos”, e o grupo Musical “Nosso Jeito”.                                                                                                                   As actividades fecham com uma competição desportiva na qual participam os integrantes masculinos e femininos dos ranchos folclóricos, e que finaliza ao fim do ano, com uma festa de entrega de prémios aos campeões de cada desporto.                                                                                           Todas as actividades deste ano estiveram sinaladas pelo lema: A Música: Uma linguagem sem fronteiras.

​(15/9/2008)